Portal de Indaiatuba

Quinta-feira, 25 de Julho de 2024
Rádio Jornal
Rádio Jornal

Colunas/BUSINESS NEWS RMC

CDHU estuda troca de terreno na região do Viracopos para instalação de centro logístico

A estatal estuda uma permuta com a iniciativa privada para construção do centro logístico por casas populares.

CDHU estuda troca de terreno na região do Viracopos para instalação de centro logístico
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Impulsionada pela movimentação de carga e a chegada de inúmeras empresas que utilizam o aeroporto, a região de Viracopos poderá ganhar uma nova área logística. Dona de uma área de 264 mil metros quadrados e avaliado em R$ 57,5 milhões, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) estuda um modelo inédito de negócio para o local, segundo nota publicada no final de semana pelo jornal O Estado de São Paulo.

Ao invés de construir moradias populares no terreno localizado próximo das rodovias Dom Pedro I e Anhanguera, e do próprio aeroporto, em Campinas, a estatal estuda uma permuta com a iniciativa privada, para construção do centro logístico. A empresa escolhida, em troca, construirá 283 moradias populares em outras regiões de Campinas.

A área atual está perto de um complexo habitacional, com 1,5 mil unidades e 4 mil moradores. Para a CDHU, a permuta vai valorizar o terreno com a chegadas de empresas de logística. Além disso, investimentos corporativos criariam oportunidades de emprego para essa população, e maior desenvolvimento econômico

O presidente da CDHU, Reinaldo Iapequino, diz que a ideia é não fazer outro grande conjunto habitacional na região, citando como justificativas problemas de

 gestão e a segurança, que seriam melhores contornados com empreendimentos menores e descentralizados.

Homem poderá ser substituído por robô em portarias: novidade é apresentada em Campinas

A substituição do atendimento humanizado pela Inteligência Artificial nas portarias de prédios residenciais e comercial pode estar com os das contados? Pelo menos é o que está propondo a startup campineira Homebook, ao desenvolver a primeira “Porteira Robô” do mundo, apresentada oficialmente a síndicos da região nesta semana.

Batizada de “Hellô”, a assistente virtual foi desenvolvida pela startup criada dentro da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp e fundada por um ex-aluno de Ciências Sociais da Universidade e pesquisador. A novidade será comercializada pelo Grupo Águia Segurança, empresa provedora de soluções de sistemas eletrônicos de segurança, monitoramento de alarmes e videomonitoramento.

Equipada com inteligência artificial de ponta, com seus algoritmos capazes de elevar a eficácia de funcionamento a patamares nunca antes vistos, a tecnologia promete ser um divisor de águas no mercado e na rotina dos condomínios. “Em menos de 2 minutos a porteira robô atende o visitante, registra o seu nome, CPF e foto, chama o condômino por vídeochamada ou grava recado se estiver ausente, abre o portão por biometria facial, avisa se a porta ficar aberta, notifica o disparo dos alarmes de invasão, de cerca elétrica, de incêndio ou de elevador travado. Também faz a reserva de espaços coletivos, registra ocorrências, avisa o recebimento de encomendas, envia comunicados, monitora as câmeras de segurança 24 horas e, se for necessário, notifica situações de pânico durante o reconhecimento facial ao ingressar no condomínio, sendo a única no mundo com essa funcionalidade”, explica o fundador da startup

A empresa diz que desenvolveu uma tecnologia exclusiva com o objetivo de identificar e notificar situações de pânico a partir do reconhecimento facial das expressões do morador que esteja sofrendo algum tipo de situação de estresse como um sequestro relâmpago, por exemplo.

Em casos como esse, em que o perigo é detectado através do aprimoramento da tecnologia desenvolvida pela empresa, os responsáveis pelo condomínio são imediatamente comunicados pelo sistema para que possam agir.

CURTAS

Carnaval em Campinas deve movimentar R$ 15,2 milhões em Campinas

Mesmo sem grandes atrativos e eventos, o Carnaval deve movimentar R$ 15,2 milhões na cidade de Campinas. A projeção é da Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic). Se o valor foi atingido, de fato, pode superar a estimava de 2023, quando o comércio local faturou R$ 14 milhões.

Grupo São Vicente investe R$ 7,4 milhões em reforma de supermercado

O Grupo São Vicente – rede de supermercados - investiu R$ 7,4 milhões na reforma de sua loja na cidade de Hortolândia, na RMC. A reabertura acontecerá sexta-feira. Inaugurada em 2012 e com 2.290 m² de área de vendas, a loja foi revitalizada e recebeu mudança de layout e nova disposição de produtos. Dentre as novidades, foram instalados seis self-checkouts.

Reforço no caixa das cidades do Corredor Dom Pedro

A concessionária Rota da Bandeias, que administra o Corredor da Rodovia Dom Pedro, repassou no ano passado R$ 62,6 milhões em Imposto Sobre Serviços (ISS) aos 17 municípios por onde a rodovia passa. Desde o início da concessão, em abril/2009, o montante repassado já ultrapassa a marca de R$ 564,1 milhões.

Itatiba lidera a lista de maiores repasses

O município de Itatiba, com R$ 8.822.518,08, foi campeão no volume recebido em 2023. Campinas aparece na segunda posição, com R$ 8.801.381,06, à frente de Atibaia (R$ 8.004.253,52) Nazaré Paulista (R$ 7.054.066,92) Jacareí (R$ 5.376.278,32) Igaratá (R$ 5.316.496,71) e Valinhos (R$ 3.690.653,50)

 

 

Comentários:
Business News RMC

Publicado por:

Business News RMC

Coluna editada pelo jornalista Marcelo Oliveira sobre economia na Região Metropolitana de Campinas.

Saiba Mais

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!