Portal de Indaiatuba

Quinta-feira, 25 de Julho de 2024
Rádio Jornal
Rádio Jornal

Notícias Educação

Vai levar o pet para pular carnaval? Confira os riscos e cuidados

Médica-veterinária da UniFAJ orienta sobre doenças, alimentação e se o animal pode ou não ir fantasiado

Vai levar o pet para pular carnaval? Confira os riscos e cuidados
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O carnaval, um dos períodos mais animados do ano no Brasil, está chegando. O momento é de pular e se divertir muito com os amigos, familiares e até com o seu cãozinho. É o que garante a Dra. Aline Ambrogi, médica-veterinária e docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Jaguariúna (UniFAJ), do Grupo UniEduK. Porém, a especialista alerta sobre os riscos que o ambiente pode oferecer, bem como os cuidados que se deve ter durante a folia.

“O carnaval pode ser uma boa opção no caso de bloquinhos pet friendly que possuam estruturas para os animais, como sombra e disponibilidade de água fresca. Além disso, é importante que o seu cachorro esteja acostumado com passeios em locais agitados, com presença de pessoas, outros animais e sons altos. Caso não seja o caso, a diversão pode ser um estresse”, alerta.

Devido ao verão e ao extremo calor na maioria das regiões do país, é indicado não levar os animais em horários de pico, o que no Brasil pode ocorrer a qualquer hora do dia.

“O ideal é ter sempre o bom senso e ficar atento a temperatura naquele momento. O calor intenso pode levar o animal a uma hipertermia, doença que pode até causar o óbito do pet. Deve-se ter uma atenção especial, principalmente, com as raças braquicefálicas (shih-tzu, pug, buldogue francês etc). Essas possuem cabeça mais ‘achatada’ e o focinho ‘encurtado’, e têm maior dificuldade para respirar”, explica.

Outro fator a se levar em consideração é o barulho causado pelas atrações musicais. Segundo a médica-veterinária da UniFAJ, o som muito alto pode assustar os cães, pois eles possuem sensibilidade maior e conseguem ouvir mais que o dobro do ser humano. “Dependendo do volume do som, pode até levá-lo a perda gradativa da audição”, alerta Aline. “Fazer uma adaptação dias antes do carnaval pode ser benéfica ao pet. Isso pode ser feito a partir de passeios diários em parques e praças, locais que costumam ser mais agitados.”

Não é novidade para ninguém que qualquer lugar que tenha aglomeração pode ter grande circulação de microrganismos que causam doenças infectocontagiosas. Portanto, além do vermífugo, os cães devem estar em dia com as vacinas da raiva, da gripe e a múltipla.

Está convencido em levar seu pet para o Carnaval? Confira outras 5 dicas para aproveitar a folia com o seu “amigão”: 

1 – Seu cão também sente sede e fome

Lembre-se que, assim como você, seu animal também tem fome e sede. Então não esqueça de ofertar água sempre fresquinha, limpa e abundante. Na hora de comer, pode ser oferecida ração úmida e pelo menos duas vezes ao dia. Como petisco, podem ser ofertadas frutas suculentas como melancia e melão. Jamais ofereça uva, carambola e casca de abacate, pois causam intoxicação ao animal.

2 - Mantenha o animal na guia e com coleira

Os cães conseguem ouvir barulhos há quilômetros de distância e, com o som alto, pode deixá-lo com medo e estimulá-lo ao seu instinto de sobrevivência, podendo ficar mais agressivo com pessoas próximas e até escapar. Portanto, deixe o animal sempre com guia e coleira com identificação.

3 – Encontre um espaço confortável

Nada de levar o pet para o meio da multidão. É importante que ele fique num espaço mais tranquilo, arejado e se possível com sombra. Se tiver sol, não esqueça de passar protetor solar, principalmente em áreas de cor branca, tais como focinho, orelhas, pálpebras e eventualmente no abdômen.

4 – Mantenha seu pet longe tinturas, sprays e espumas

O momento é de diversão e alegria, mas em hipótese alguma utilize tinturas, sprays e espumas para ‘decorar’ o pet. Segundo a médica-veterinária da UniFAJ, esses produtos são altamente químicos e podem causar estresse e alergias na pele.   

5 – Fantasias e adereços estão liberados, porém...

Fantasias e outros adereços podem ser uma forma divertida de entreter o pet, porém, certifique-se que não estejam incomodando o animal. No caso das fantasias, dê preferência por tecidos mais leves como malha e algodão.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!