Portal de Indaiatuba

Sexta-feira, 19 de Julho de 2024
Rádio Jornal
Rádio Jornal

Colunas/Saúde

Zoonoses e One Health: Protegendo Nossos Animais de Estimação e Nossa Saúde

* Por Henry Berger

Zoonoses e One Health: Protegendo Nossos Animais de Estimação e Nossa Saúde
Henry Berger, Head Latam e Diretor-Geral da VetFamily no Brasil
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Os animais de estimação são parte integrante de nossas vidas, nos trazem alegria, companhia e amor incondicional. No entanto, é importante reconhecer que nossos amigos peludos podem ser portadores de doenças que também afetam os seres humanos - as zoonoses - que é um dos pontos importantes contemplados no conceito de One Health ou Saúde Única, abordagem que reconhece a interconexão entre saúde humana, animal, vegetal e ambiental. A responsabilidade pela saúde e pelos cuidados com os pets, claro, é nossa e, por isso, informação é fundamental.

Causadas por bactérias, vírus, parasitas, fungos e outros microrganismos, as zoonoses podem ser transmitidas dos animais para os seres humanos e vice-versa, de forma direta através do contato com secreções, mordeduras ou arranhaduras, e indireta, por meio de vetores como insetos e ectoparasitas. Um exemplo comum e grave de zoonose é a raiva, uma doença viral transmitida através da mordida de um animal infectado, como cães, gatos ou morcegos.

O Papel da OneHealth na Prevenção de Zoonoses

A Saúde Única enfatiza a necessidade de cooperação entre médicos-veterinários, médicos humanos, ecologistas, biólogos e outros profissionais da saúde e do meio ambiente para abordar questões de saúde de forma holística. No contexto das zoonoses, a abordagem da One Health desempenha um papel fundamental na prevenção, detecção e controle dessas doenças. Isso envolve a vigilância de doenças em animais e humanos, a educação pública sobre práticas seguras de convivência com animais de estimação, o desenvolvimento de vacinas e de tratamentos eficazes e a gestão adequada de resíduos animais.

Algumas zoonoses a que precisamos estar atentos:

Toxoplasmose: causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, a doença é adquirida principalmente pela ingestão de água, frutas, verduras e carnes cruas ou mal passadas contaminadas. O parasita também pode estar presente nas fezes de gatos infectados e, por isso, medidas preventivas devem ser tomadas e o contato direto com as fezes, evitado. A doença pode causar sintomas leves em humanos, mas representa um risco maior para mulheres grávidas e pessoas com sistema imunológico comprometido.

Leishmaniose: causada por protozoários do gênero Leishmania e transmitida pela picada do mosquito-palha. Pode afetar tanto cães quanto humanos, causando sintomas como feridas na pele, febre e danos em órgãos internos.

Toxocaríase: causada pela ingestão acidental de ovos do parasita Toxocara canis na água, alimento ou solo contaminados, ou por meio do consumo de vísceras e carnes mal cozidas contendo larvas infecciosas, levando à sintomatologia visceral, ocular e até mesmo neurológica.

Ancilostomíase: também conhecida como "amarelão", é uma infecção intestinal causada por vermes parasitas do gênero Ancylostoma, o nematódeo mais frequente em cães no Brasil. Pode ser transmitida aos humanos através do contato com fezes contaminadas.

Bordetelose: a bactéria Bordetella bronchiseptica, agente causadora da chamada tosse dos canis, é uma infecção bacteriana altamente contagiosa que afeta o sistema respiratório dos cães. A forma de transmissão em seres humanos pode acontecer pelo contato direto da boca e/ou focinho durante a socialização e também por contato com secreções contaminadas que são expelidas durante a tosse e o espirro, causando sintomas similares aos da gripe. Essa zoonose tem um baixo risco de contaminação, geralmente afetando imunossuprimidos e idosos com comorbidades.

Leptospirose: a leptospirose é uma doença causada pela bactéria do gênero Leptospira spp, que pode ser transmitida aos seres humanos através da urina de animais infectados. O controle de pulgas e carrapatos também é importante na prevenção dessa doença, pois esses parasitas podem servir como hospedeiros intermediários.

Esporotricose: micose causada por fungos do gênero Sporothrix, presente no solo, vegetais em decomposição, espinhos e madeira, podendo ser transmitida diretamente pelo contato com o meio contaminado ou por arranhaduras, mordeduras e contato com lesões.

Além das zoonoses

Expandindo um pouco o tema saúde humana e animal, vale abrir um parênteses  para um alerta sobre nossos hábitos no dia a dia que não necessariamente envolvem zoonoses, mas que afetam a saúde dos pets também, como o tabagismo, por exemplo. A exposição à fumaça de tabaco compromete muito a saúde dos animais e nem todas as pessoas os veem como potenciais fumantes passivos, não adotando os mesmos cuidados que tomam com adultos, crianças e idosos.

Tratamentos estéticos ou cuidados pessoais também podem se tornar riscos para nossos amigos como temos visto recentemente. O minoxidil (utilizado comumente para crescimento de pelos e cabelos) é altamente tóxico para cães e gatos, podendo até mesmo ser fatal. A intoxicação acontece por meio de ingestão acidental de comprimidos ou por lambeduras das regiões em que o produto foi aplicado. Da mesma forma, repelentes e outros cremes ou medicamentos de uso tópico, também podem ser tóxicos para o organismo dos nossos amigos que, numa demonstração de carinho ou por se sentirem atraídos pelo odor do produto, lambem a pele do tutor.

 

Protegendo Nossos Animais de Estimação e Nossa Saúde

Existem várias medidas que podemos tomar para proteger nossos animais de estimação e, consequentemente, nós mesmos contra zoonoses:

Vacinação: manter nossos animais de estimação atualizados com as vacinas recomendadas pode ajudar a prevenir doenças como a raiva, a leptospirose e a bordetelose.

Higiene: lavar as mãos após manusear animais, especialmente após limpar fezes ou urina, pode reduzir o risco de infecções; o mesmo para a higiene de instalações e locais onde vivem os animais.

Controle de parasitas: tratar nossos animais de estimação regularmente contra pulgas, carrapatos, vermes e outros parasitas ajuda a evitar a propagação de doenças. O controle integrado e periódico de pulgas e carrapatos é especialmente importante, pois esses parasitas podem transmitir uma série de zoonoses, incluindo a febre maculosa e a dipilidiose.

Cuidado com a alimentação: oferecer uma dieta balanceada e segura para nossos animais de estimação ajuda a mantê-los saudáveis e reduz o risco de infecções alimentares.

Visitas veterinárias regulares e preventivas: agendar consultas veterinárias anuais permite a detecção precoce de doenças e a administração de tratamentos adequados.

É essencial estar ciente dessas doenças e adotar medidas preventivas para proteger a nós mesmos e aos nossos companheiros peludos, afinal eles dependem de nós para receberem os devidos cuidados que vão impactar na saúde de toda a família.  Com educação, conscientização e cooperação, podemos garantir um ambiente saudável e seguro para todos.

Henry Berger é médico-veterinário formado pela Universidade de São Paulo, com MSc e PhD pela mesma instituição e MBA pela FGV. Após período com sua prática clínica principalmente em Diagnóstico por imagem, juntou-se à Merial em 2001 onde teve múltiplas funções em diferentes geografias pelo mundo (Brazil, Latam, Asia-Pacífico, Europa, EUA). A partir de 2017 integrou o time de Diagnósticos e Monitoramento da Boehringer Ingelheim, empresa na qual trabalhou até 2021; desde então lidera a sueca VetFamily no Brasil e Latam.

Comentários:
Business News RMC

Publicado por:

Business News RMC

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s, when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book.

Saiba Mais

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!